Assinar: conteúdo | comentários

De olho na alimentação

Comentários desativados em De olho na alimentação


919554_51910649

O mercado de artigos para pet está em expansão. Enquanto a economia brasileira cresceu 0,9% no ano passado, o setor registrou um salto de 16,4%. Há mimos e produtos de todo tipo, mas as rações são responsáveis pela maior fatia do estoque destinado a animais de estimação. Diante de tanta variedade, difícil é escolher os produtos mais adequados. Por isso, especialistas dão as dicas sobre as rações disponíveis, a frequência com que devem ser oferecidas e em que quantidade. ?As versões premium e superpremium apresentam melhor custo-benefício?, garante a doutora em nutrição animal Manuela Marques Fischer, de Porto Alegre. ?Elas são mais nutritivas, porque têm ingredientes como ômega 3, antioxidantes e óleos vegetais.? Assim, fazem bem para a pele e a pelagem. E mais: ?Como são mais concentradas, os pets precisam comer menos e acabam sujando menos a casa?. Já as comuns, segundo a expert, podem manter a energia do animal, mas não trazem outros benefícios e podem não ser tão balanceadas como deveriam. A seguir, saiba mais sobre como melhorar a alimentação do seu cão ou gato e prolongar a vida dele.

A ração ideal

Evite comprar a granel. Os pacotes fechados são melhores porque preservam o aroma e evitam a contaminação. As rações úmidas, em forma de patê, são indicadas principalmente para gatos, por ajudar na hidratação. Como eles não bebem muita água, têm maior propensão a desenvolver cálculos nos rins e na bexiga.

Frequência e quantidade

Consulte o indicado no rótulo e, se possível, um veterinário. Cães adultos devem comer de duas a três vezes por dia nos mesmos horários. Já para os gatos, como costumam se alimentar de 15 a 20 vezes, a ração deve ficar sempre disponível. Mas troque-a ao menos duas vezes por dia para evitar contaminação.

Filhotes

?Até os 6 meses, os cães devem comer quatro ou cinco vezes por dia e, até 1 ano, três?, diz o veterinário Júlio Cesar Cambraia Veado, da Universidade Federal de Minas Gerais. Para raças grandes e gigantes, essa regra vale até os 2 anos. No caso de gatos, é bom habituá-los com várias marcas e texturas para que não se tornem adultos muito seletivos e rejeitem mudanças.

926964_16921026

Idosos e castrados

Os pets de 7 anos ou mais e os castrados têm metabolismo mais lento e devem ingerir, em média, 20% menos calorias. Por isso, as rações específicas para animais nessas condições são mais magras e têm mais fibras, proteínas e substâncias antioxidantes.

Obesidade

Assim como acontece entre nós, a obesidade é um problema cada vez mais comum também entre os bichos de estimação, levando o mercado a lançar rações light. Elas têm pouca gordura, grande quantidade de fibras e proteínas e podem ser boa opção para os que têm quilos a mais.

Petiscos

Só dê petiscos próprios para animais e que não ultrapassem 10% das calorias necessárias diariamente. Nunca compartilhe sua comida. Alguns alimentos, como chocolate e uva, são tóxicos para os animais.

Fonte: MdeMulher

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.

Comments are closed.