Assinar: conteúdo | comentários

Obediência na guia

Comentários desativados em Obediência na guia


558572_99228744

Alguns donos de cães têm dificuldades em levar seus animais na guia. Geralmente a limitação acontece pelo fato de o proprietário não conseguir estabelecer a sua liderança diante de seu companheiro, que pode estar se sentindo excessivamente destemido ou ansioso. Para resolver a questão é necessário paciência e treinamento.

Cães que se sentem dominantes em relação ao condutor da guia impõem seu ritmo e direção aos passeios. Esta situação não pode ser mantida por muito tempo, nem se tornar um hábito, pois se, ao longo do tempo, o animal sentir confirmada sua posição de líder, deixará de obedecer ao dono e poderá reagir com agressividade a qualquer advertência.

Animais que fazem poucos passeios costumam se mostrar impacientes para chegar à rua e explorá-la, puxando a guia para se aproximar de algo de seu interesse. O dono nunca deve acelerar o passo e ceder à ansiedade do cão, já que se agir assim ensinará que o comportamento errado é a forma de o cão conquistar seu objetivo.

Independente de qual seja o motivo de o cão tentar controlar o passeio, é importante este comportamento não seja tolerado, pois, para o bem-estar do animal e das pessoas na rua, quem precisa estar no comando do passeio é o humano que conduz a guia.

Como levar o cachorro na guia

Fazer uma rotina de treinos de passeios com o cão é uma boa iniciativa para corrigir maus comportamentos do animal e prevenir problemas na rua. O primeiro passo deve ser não colocar a guia no animal até que este demonstre não estar impulsivo e realizar treinos em lugares pouco excitantes, como garagens de prédios.

Ao longo dos treinos de passeio, o cão deve ser ensinado a mudar de direção junto com seu condutor. Fazer percursos em ziguezague é a melhor técnica para conseguir este aprendizado, pois esta prática faz o cachorro apurar sua percepção em relação aos movimentos de quem conduz a guia.

Se o animal durante os treinos tiver dificuldades em seguir as direções, devem ser dados pequenos trancos, para que manter o animal junto a si, e na sequência a guia deve ser afrouxada. Esta medida repreende e ensina o cão, pois andar com a guia sempre frouxa não estabelece a educação e obediência necessárias e manter a guia firme todo o tempo enforca o animal, o que não promove entendimento, apenas sofrimento.

É importante estar atento ao fato de que cães excitados e briguentos não costumam sentir os trancos educativos, pois a adrenalina atrapalha sua sensibilidade. Se este for o caso, a correção de maus comportamentos deve ser aplicada por meio de alguma punição que não machuque o animal, ou seja, que o assuste ou o faça sentir leve desconforto.

Levar petiscos para recompensar o cão quando este estiver mantendo o comportamento adequado, ou seja, acompanhando e mantendo o mesmo ritmo que seu dono com a guia frouxa, é uma boa medida educativa, bem como fazer pequenas pausas nestes momentos para dar carinhos e falar coisas positivas ao animal.

Apenas depois de uma considerável evolução na obediência do animal com relação a quem conduz a guia é que devem ser liberados pouco a pouco os passeios a lugares mais agitados, pois, desta forma, será possível fazer seu cão aproveitar passeios diversos convivendo de maneira harmoniosa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.

Comments are closed.