Assinar: conteúdo | comentários

Manual do gato de apartamento

Comentários desativados em Manual do gato de apartamento


Sina de quem vive nas grandes cidades. Febre que rapidamente se espalha pelas cidades ainda não tão grandes. Viver em apartamento é o maior símbolo dos tempos modernos, dos espaços cada dia menores e dos prédios cada vez mais altos.

Aí então começa a busca pelos animais de pequeno porte, adaptáveis a ambientes também pequenos, mas que, principalmente, se adequem à vida frenética de quem passa pouco tempo em casa. Nesta competição, os gatos saem quase sempre vencedores. Pesquisas dão conta de mais 16 milhões de bichanos de apartamento no país.

Independentes, calmos, silenciosos, organizados e limpinhos, eles são os preferidos pelos donos com pouco tempo e pouco espaço. Maravilha! Quem conhece os gatos sabe que o tamanho de um apartamento não diz muita coisa sobre a vida que eles podem levar! Armários, estantes, sacadas, varais, tudo isso entra na “contagem” do espaço que os gatos encontram para a diversão.

E é justamente aí que mora o perigo. Uma casa com crianças pequenas pede cuidados especiais com quinas, janelas, objetos delicados, certo? Pois uma casa com gatos também exige precauções para evitar acidentes bobos ou mesmo fatais.

Para aqueles que procuram um companheiro ou para aqueles que já têm, separamos algumas dicas valiosas para uma vida segura em um ambiente à prova de acidentes.

Manual Do Gato de Apartamento:

O mito da raça certa

Segundo Alessandra Amarante, veterinária especialista em felinos, não existe uma raça específica para viver em apartamento. Ela diz que o mais importante mesmo é a forma como os felinos são tratados no ambiente doméstico.

Comida x obesidade

A médica destaca que a nutrição dos animais de apartamento deve ser diferenciada. Para gastar a energia acumulada, vale a pena escolher brinquedos que não permitam ao gato ficar entediado. “O fato dos felinos morarem em um apartamento não é fator determinante para ficarem obesos e sim a falta de atividade física, o excesso de comida e o fornecimento de alimentos inadequados para a espécie.”

Segurança sempre

Os gatos são caçadores natos e tudo é um novo desafio. O grande problema é que, nos apartamentos, os bichanos podem sofrer graves acidentes caso pulem da janela. Segundo a Dra. Alessandra, as telas são sempre a melhor opção, não importa o andar em que se viva. “O gato está atento a todos os movimentos ao seu redor. Assim, quando ele vê algo se mexendo, não pensa duas vezes e pula na direção do objeto. Não se preocupa se está no primeiro ou no vigésimo andar.”

As telas são baratas e muito rápidas de serem colocadas. Em uma pesquisa de segundos na internet, você encontra diversas empresas que fazem a instalação. É um investimento que salva a vida do seu gato, pode acreditar.

Por que não dois?

Os “pais” de primeira viagem já devem ter ouvido: onde cabe um gato cabem dois. Felinos criados juntos desde cedo têm maior tendência a se relacionarem melhor e se tornarem ótimos companheiros. Bichanos que começam a conviver depois de adultos costumam passar por um “estranhamento” inicial que dura poucos dias. Não se assuste, só supervisione a interação e evite possíveis brigas.

Vacinas e consultas

Mesmo que o gato não saia de casa, é muito importante manter suas vacinas em dia. Isso porque um contato do dono com um animal estranho e doente pode ser perigoso para seu gatinho em casa. Não se esqueça também de levar seu amigo ao veterinário com frequência para um check-up!

Unhas e mais unhas!

Gato que não sai de casa não precisa de unhas grandes para se defender ou para escalar. Unhas compridas enroscam em móveis e brinquedos, seu gato sentirá vontade de afiá-las – e isso não é uma boa ideia! Cabe ao dono ficar de olho no tamanho das garras e aparar de vez em quando. Existem tesourinhas próprias para cortar as pontas das unhas. Preste bem atenção à parte rósea da unha, pois são as veias, e não devem ser machucadas. Uma ida ao petshop também resolve o problema rapidinho.

Brinquedos e arranhadores

Se você não oferecer um arranhador para seu gato, ele certamente vai escolher outro objeto para esta finalidade, como o seu sofá, por exemplo. Coloque o arranhador à vista, num local por onde ele sempre passe. Quanto aos brinquedos, você pode gastar uma fortuna em uma bolinha supermoderna comprada em um petshop, mas seu gato gosta mesmo é de coisas simples. Bolinhas de papel amassado, rolinhos de papel higiênico e fitas de presente são sucesso absoluto!

Minha cama, sua cama

Gatos gostam de lugares macios e limpos, sejam eles a própria cama ou a cama de alguém – no caso, você. Dormir com o gato é uma maravilha, principalmente no inverno! Mas saiba que, se você permitir, isso se tornará um hábito. Uma caixa de papelão com paredes baixas e forrada com um cobertor bem macio, ou mesmo uma cesta de vime com uma toalha molinha são excelentes opções de caminhas e também muito baratas.

Água, sim!

Gatos precisam de muito poucos banhos por ano. Eles são limpos e higiênicos por natureza, o ato de se banharem sozinhos é instintivo. Banhos são aconselháveis para as épocas de trocas de pelo e para que eles “não se esqueçam” do que é uma verdadeira sessão de limpeza pesada. Um banho a cada dois meses é suficiente, mas – atenção – não lave o rostinho nem permita que a água entre nas orelhas! Acostumá-los desde filhotes é essencial para fazer do banho um hábito sem escândalos.

Madeixas escovadas!

Gatos adoram ser escovados, o que é muito bom para eles, pois retira o excesso de pelos que serão lambidos e engolidos, formando bolas no aparelho digestivo. Escove três vezes por semana e pergunte ao seu veterinário de confiança sobre as pastas de malte para eliminação bolas de pelos.

Caixa de areia

Gatos que vivem em apartamentos fazem suas necessidades nas famosas caixas de areia. Esta “areia”, na verdade, é argila em flocos. A função é absorver o xixi e “empanar” o cocô. Desta forma, tudo fica sem cheiro e muito fácil de limpar. Basta retirar as “necessidades” e repor a areia.O conteúdo todo deve ser trocado a cada duas semanas, quando a caixa é lavada com água e sabão neutro.

Grama, pra que te quero!

Um gato de apartamento sente falta de mastigar “verdinhos”. Comer mato ajuda na digestão do bichano. Você mesmo pode plantar a graminha que é vendida nos petshops e oferecê-la ao seu amigo de vez em quando.

Gatos não são cachorros!

Não espere do seu gato um comportamento tipicamente canino. Convites para passeios, avisos de xixi, rabos balançando com a sua chegada do trabalho. Gatos são diferentes de cães, com comportamentos, brincadeiras e convivência deliciosamente originais. Felinos são discretos e demonstram amor de uma forma menos “escancarada” que os cães. Só quem consegue tirar um ronronado de um gato sabe o quanto isso tem valor!

E mais!

* Não deixe sacolas plásticas jogadas pela casa;

* Evite posicionar as panelas no fogão com o cabo para fora;

* Antes de trancar armários e quartos, confira se o gato não está dentro;

* Não bobeie com portas do apartamento abertas;

* Vitrôs também precisam de telas;

* Quando comprar plantas, certifique-se de que não oferecem perigos ao bichano;

* Nunca use medicamentos humanos em animais;

* O veterinário é sempre o melhor conselheiro para qualquer dúvida sobre a saúde ou a educação de seu animal.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.

Comments are closed.