Assinar: conteúdo | comentários

Rinotraqueíte, a gripe do gato

Comentários desativados em Rinotraqueíte, a gripe do gato


Foto: FreeDigitalPhotos.net

O frio está chegando. É hora de tirar os casacos do fundo do armário e tomar os devidos cuidados para não pegar uma gripe, certo? Mas você já parou para pensar que não somos só nós humanos que sofremos com essa doença? Pois é, os gatos também ficam resfriados!

As doenças do trato respiratório são bastante comuns na medicina felina. Causadas por vírus, bactérias, fungos ou mesmo processos alérgicos, elas podem provocar sintomas bem parecidos com a nossa velha conhecida gripe e trazer consequências perigosas se não forem tratadas.

O Herpesvirus causa a rinotraqueíte, também chamada “gripe do gato”. Os pets afetados sofrem com espirros, tosse, falta de apetite, lesões na boca, conjuntivite, febre e até pneumonia.

Não importa a idade, gatos em qualquer fase da vida podem pegar a rinotraqueíte. Em todo caso, é preciso atenção especial com os filhotes, que são mais suscetíveis e ficam mais debilitados. É indispensável uma visita ao veterinário, já que, por mais que pareça só um simples resfriado, existe o risco de morte. Além disso, as úlceras na boca são doloridas e atrapalham o animal na hora de comer. Começar o tratamento logo no início e manter o bichinho sob observação de um profissional são dicas pra lá de importantes.

A transmissão é feita pelo contato direto entre gatos saudáveis e doentes. O espirro é o maior disseminador de partículas virais. O vírus pode chegar a uma distância de até um metro e meio só com um atchim.

Os animais recuperados carregarão o vírus no corpo para sempre. Então, vale a pena observar o comportamento do gato para que uma recaída seja logo detectada e tratada. Isso é mais comum em períodos de estresse e pode trazer todos os sintomas e riscos à tona novamente.

Como evitar? Existe vacina contra a rinotraqueíte, e este é o melhor meio de prevenção sempre. Mas, cuidado, somente animais saudáveis devem ser vacinados. Mantenha os ambientes limpos, desinfetados e ventilados e isole os pets doentes dos saudáveis até que se recuperem.

Não se esqueça, o importante é que o felino inicie o tratamento o mais rápido possível. Espirros, olhos lacrimejando? Veterinário já!

Ah! A doença não é transmissível para cães ou pessoas. Portanto, pode mimar o seu gato sem preocupação!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
0saves
If you enjoyed this post, please consider leaving a comment or subscribing to the RSS feed to have future articles delivered to your feed reader.

Comments are closed.